se abrir o peito

se abrir o peito com as mãos vazias,
quanto jorrará desta angústia que o cerra
quanto derramarei no colo que seja uma raiva inominada
quanto que seja dor


Manter as mãos ocupadas

para deixar a cabeça vazia.


Este fosso em que caio para chegar a mim sou eu.

Continue a ler

Não, Catarina,

não vais só dormir através das coisas.


Sou só este abismo

e um arranhar nas bordas.


Fundo

é um lugar da treta.


Estive sempre ao teu lado

quando eras tu. Agora olho em volta e há só um vazio onde me dói a tua ausência.